Evolução da indústria brasileira nos últimos 10 anos

A Festo reuniu dados sobre as principais evoluções da indústria brasileira nos últimos 10 anos de acordo com referências dos principais órgãos públicos e institutos brasileiros.

Para compreendermos completamente o otimismo atual da indústria brasileira, é fundamental fazer uma análise retrospectiva dos últimos dez anos. Nesse período, a indústria do país passou por transformações significativas, que moldaram o cenário atual.

infográfico em formado de escada com 4 passos

Pico e queda de 2013

Em 2013, a indústria brasileira atingiu seu pico histórico de faturamento, com destaque para o mês de agosto. No entanto, os anos seguintes foram marcados por uma queda acentuada no faturamento, desafiando o setor industrial.

Inovações Tecnológicas

Durante esses dez anos, observamos um avanço significativo na adoção de tecnologias industriais. Conceitos como automação, impressão 3D e digitalização entraram em cena, trazendo eficiência e competitividade para a indústria.

Indústria 4.0 consolidada

infográfico em formato de roda

O tão falado "boom" da Indústria 4.0, que por um tempo teve mais discurso do que prática, hoje já se consolidou em vários aspectos. A digitalização de processos industriais, juntamente com a virtualização do trabalho, se tornou uma realidade, aumentando a eficiência e a capacidade de adaptação das empresas.

Heterogeneidade na aplicação tecnológica:

É importante destacar que, apesar dos avanços, há uma grande heterogeneidade no nível de aplicação tecnológica no parque industrial brasileiro. Alguns setores estão mais avançados do que outros, criando oportunidades para a expansão da tecnologia.

Automatização e competitividade

Setores que dependem da manufatura estão cada vez mais automatizados, o que facilita a gestão das demandas instáveis de produção. Isso reduz custos e aumenta a competitividade das empresas diante de desafios como picos de produção que exigem mão de obra especializada em curto prazo.

infográfico em formato linha do tempo

Perspectivas da Indústria Brasileira em 2023

A Festo compilou dados recentes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ) e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)¹ ² ³.

A indústria brasileira está otimista e pronta para o crescimento. Neste espaço, exploraremos os detalhes dessas análises, destacando os setores confiantes e os fatores que estão impulsionando esse otimismo, bem como dados importantes relacionados ao consumo e à economia como um todo.

Otimismo setorial

No último relatório da CNI, revelou-se que 17 entre 29 setores da indústria, independentemente do tamanho das empresas e das regiões do Brasil, estão confiantes em seu futuro².

Entre esses setores, destacam-se:

  • Bebidas: um dos pilares da economia brasileira, as empresas de bebidas estão se preparando para um futuro promissor².
  • Alimentos: a indústria alimentícia é um dos setores mais resilientes do Brasil, e sua confiança é um sinal positivo².
  • Têxteis: a indústria têxtil está otimista, pronta para abraçar inovações e tendências de mercado².
  • Máquinas e equipamentos: os dados da ABIMAQ apontam para um crescimento sólido no setor de máquinas e equipamentos, com impacto positivo na economia².

Crescimento do setor de máquinas e equipamentos

Os dados do mês de junho de 2023, da pesquisa Indicadores Conjunturais da ABIMAQ, indicaram um crescimento na receita líquida de vendas de máquinas e equipamentos, o segundo consecutivo neste tipo de análise.

O segundo trimestre do ano registrou um crescimento de 2,7%. Pela primeira vez no ano, a melhora no resultado foi puxada pelo crescimento das vendas no mercado doméstico ¹ ² ³.

Consumo aparente de bens industriais

De acordo com o Indicador Ipea “Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais”, houve uma queda de 2,5% na comparação entre julho e junho na série com ajuste sazonal. Isso reflete a demanda interna por bens industriais, que é definida como a parcela da produção industrial doméstica destinada ao mercado interno, acrescida das importações¹.

No entanto, é importante notar que esses indicadores podem variar, e sua compreensão é essencial para uma visão completa da economia ¹ ² ³.

Cenário econômico geral

O cenário econômico brasileiro é complexo, mas também oferece oportunidades. Fatores como a queda das cotações de commodities, a reabertura econômica da China e medidas de estímulo fiscal e políticas de crédito estão influenciando o crescimento econômico e a inflação. Entender esses fatores é fundamental para tomar decisões informadas no mundo dos negócios¹ ².

O panorama econômico do Brasil

Para entender completamente o cenário otimista da indústria brasileira, é fundamental avaliar o contexto econômico mais amplo. O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre refletiu um comportamento heterogêneo entre os indicadores de atividades setoriais com periodicidade mensal¹.

Vamos dar uma olhada mais detalhada:

  • Desempenho da Indústria: Com base nos dados da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF), a indústria enfrenta um cenário desafiador, acumulando uma queda de 0,4% nos primeiros cinco meses do ano. Embora tenha mantido um ritmo modesto de crescimento em grande parte desse período, houve alguma aceleração em maio. Isso resultou em um "carry-over" de 0,3% para o segundo trimestre, indicando um início positivo para o período subsequente¹.
  • Comércio Varejista em Crescimento: Em contraste, o comércio varejista (conceito ampliado), de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), registrou um desempenho mais positivo, acumulando um crescimento de 3,3% no primeiro quadrimestre de 2023. Sua trajetória em médias móveis mostra a terceira aceleração consecutiva em abril, com um "carry-over" para o segundo trimestre de 1,4%. Esses dados sinalizam um setor de varejo resiliente¹.
  • Receita Real de Serviços: De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), a receita real de serviços acumulou um crescimento de 4,8% nos primeiros quatro meses de 2023 em relação ao mesmo período do ano passado¹.

No entanto, a trajetória em médias móveis foi impactada negativamente pelo forte crescimento em dezembro de 2022, gerando uma base de comparação elevada nos resultados de março e abril. Se essa tendência se mantiver estável nos próximos períodos, o setor encerraria o segundo trimestre com uma queda de 0,5%.

Indicadores de atividade econômica

Além disso, vale destacar que os indicadores que buscam sumarizar a atividade econômica brasileira também mostram um comportamento interessante. Esses dados adicionais fornecem um contexto importante para a perspectiva positiva da indústria brasileira.

Enquanto alguns setores enfrentam desafios, outros estão mostrando resiliência e crescimento. Isso sugere que a economia brasileira está em um momento de transformação e adaptação, oferecendo oportunidades e desafios para os próximos trimestres¹.

Referências:

novembro 2023

Visão geral