Remoção precisa do tecido prostático

Os robôs médicos desempenham um papel importante no diagnóstico

Os robôs médicos desempenham um papel cada vez mais importante nos diagnósticos médicos. As soluções de manuseamento semiautomatizadas permitem obter amostras precisas das zonas suspeitas da próstata, o que se traduz em resultados mais exatos nas biópsias e uma melhor detenção do cancro da próstata.

O novo manipulador controlado à distância (Remote Controlled Manipulator, RCM) desenvolvido pela empresa dos Países Baixos Soteria Medical BV facilita o trabalho dos médicos e reduz a intensidade da intervenção para o paciente. O RCM não contém metais e é utilizado dentro do espaço limitado de uma imagiologia por ressonância (IMR).

Um componente importante do RCM é o seu sofisticado sistema de software, que é utilizado em conjunto com as imagens de ressonância magnética para conseguir um posicionamento extremamente preciso dos guias das agulhas. As imagens atuais da zona-alvo são comparadas com exames de diagnóstico anteriores. Então, os motores pneumáticos de plástico do robô movem o guia da agulha até à posição exata. O sistema é controlado através de um terminal de válvulas da Festo do tipo MPA. Em seguida, o médico utiliza as imagens da ressonância magnética para guiar a agulha da biópsia em segurança e com precisão até à próstata, para assim extrair uma amostra de tecido para exame posterior.

A automação parcial através da utilização de um robô torna a intervenção de extração da biópsia muito menos stressante para o paciente. Graças à alta precisão do robô, que consiste em motores de passo de polímero de última geração, é extraída uma ou duas amostras de tecido de uma zona suspeita. Por outro lado, na biópsia sistemática aleatória, o urologista recolhe 12 e 16 amostras por exame com ecografia.

novembro 2019

Visão geral