Planeamento virtual

Planeamento da produção nas instalações tecnológicas de Scharnhausen

Fita métrica, caneta, bloco de notas e um olho aguçado: não precisa de mais nada para medir edifícios ou instalações. Ou sim? Como em muitas outras áreas da vida, a digitalização também está a chegar aqui.

Durante alguns anos, a digitalização a laser 3D tem estado a revolucionar a forma como as coisas são documentadas e planeadas na arqueologia, na arquitetura e na indústria. A visualização tridimensional de edifícios e geometrias complexas permite um método de trabalho mais fiável, preciso e rápido.

Os digitalizadores a laser funcionam com luz laser. Durante o processo de digitalização simples, é realizada várias vezes uma pequena sequência de passos: o digitalizador emite um raio laser, que é refletido pelo ambiente. A ótica recetora do digitalizador retoma o feixe. A luz laser recebida pelo digitalizador é avaliada através de procedimentos de medição especiais.

Da nuvem de pontos à imagem real

O digitalizador a laser 3D é inserido num tripé e roda lentamente em torno de um eixo vertical através do servomotor padrão. Um espelho, que gira em torno do eixo horizontal através de várias rotações por minuto, desvia o feixe do laser emitido. Ao fazê-lo o laser digitaliza todas as superfícies envolventes num raio particular, regista a intensidade do sinal refletido e cria milhões de minúsculos pontos - até 976.000 por segundo. Estes pontos de medição formam uma imagem do ambiente na forma de nuvem de pontos. O digitalizador une estes pontos com fotos do ambiente real. O resultado é a imagem das superfícies no espaço tridimensional.

Pelas esferas de referência, que atuam como pontos de referência para o digitalizador, várias digitalizações podem ser conectadas umas às outras para criar uma imagem digital, por exemplo, do piso completo de um edifício. Usando um programa CAD tradicional, os objetos e os designs podem ser adicionados às imagens 3D criadas pelo digitalizador. Isto simplifica bastante o planeamento.

A fábrica digital encontra a realidade

Até a nova construção das Instalações Tecnológicas de Scharnhausen da Festo foi planeada com a ajuda de um método de produção adicional (a impressão 3D). Numa fábrica miniatura, os funcionários tiveram a primeira impressão do futuro local de trabalho ainda durante a fase de construção. A Festo optou pela digitalização a laser 3D para modernizar a produção eletrónica.

O que permitiu que as futuras estações de trabalho fossem planeadas rapidamente e, ao mesmo tempo, em detalhe. A ocorrência de surpresas após a fase de planeamento, os ajustamentos dispendiosos e os alargamentos dos prazos foram evitados porque os sistemas de construção técnicos foram planeados com base nos dados reais, e as dimensões em falta foram determinadas de modo fácil e rápido.

Visão geral