Soluções para a automação laboratorial

Distribuição e pipetagem

Atualmente, são utilizadas em muitas aplicações pequenas gotas de líquido com volumes na escala dos microlitros. Entre as áreas onde estas gotas podem desempenhar um papel particularmente importante encontram-se o manuseamento de líquidos nas ciências da vida e a investigação farmacêutica, o diagnóstico e as aplicações microfluídicas. Duas técnicas típicas para o manuseamento de líquidos são a pipetagem (uma técnica de contacto) e a distribuição (uma aplicação sem contacto).

Distribuição

Para muitas aplicações, como a dosagem de soluções-tampão ou meios para culturas celulares, um distribuidor a granel pode ser uma boa opção. Um método para produzir gotas na escala dos microlitros consiste em utilizar válvulas solenoide de comutação rápida. Para distribuir o fluido, estas válvulas podem ser alimentadas através de uma conduta de fluido, por exemplo, a partir de um reservatório pressurizado. Em seguida, apresentamos uma representação esquemática deste sistema simples:

Pipetagem

Por outro lado, a pipetagem podem ser considerada um método mais sofisticado de manuseamento de líquidos. Na sua forma mais simples, este tipo de dispositivo de transferência de líquidos extrai um volume de líquido de um reservatório de origem por meio de aspiração antes de ser colocado sobre um local de destino e, posteriormente, distribuir o líquido. O líquido da amostra costuma manter-se numa estrutura denominada "ponta". As pontas podem ser dispositivos fixos, tais como tubos finos ou grandes agulhas de injeção de metal ou plástico, ou peças cónicas descartáveis, também conhecidas como pontas descartáveis. A utilização de pontas descartáveis pode eliminar o risco de contaminação ao mesmo tempo que reduz o volume morto ao manusear reagentes valiosos comparativamente com a dosagem de grandes volumes. Muitos sistemas estão equipados com várias pontas, que podem acelerar a transferência de líquidos aspirando ou distribuindo simultaneamente em vários reservatórios. Regra geral, cada ponta de trabalho de um sistema denomina-se canal.

Automação

Na atualidade, uma grande parte dos sistemas automatizados para o manuseamento de líquidos trabalham com volumes compreendidos entre microlitros e mililitros. Uma tendência atual que pode ser observada é a crescente miniaturização dos ensaios, circunstância que permite aos laboratórios diminuir os custos de reagentes e amostras ao mesmo tempo que aumenta o desempenho. Uma combinação inteligente de pipetagem e distribuição a granel pode ajudar a otimizar a automação dos processos de manuseamento de líquidos.

Sobre os autores:

Wolfgang Trautwein
Business Development MedLab
Contacto

Dr. Bengt Wunderlich
Development Liquid Handling MedLab
Contacto

Visão geral